Projetando

Ciberespaço para projetos…


Cibercultura e Evangelização

Pesquisa de três anos com Bolsa de Iniciação Científica (IC) da FAPERJ, concluída em julho de 2010.

Alexandre Magalhães Rangel. Cibercultura e Evangelização – sobre a ação pastoral no ciberespaço. Rio de Janeiro, 2010, 36p. Departamento de Teologia, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Resumo:Numa sociedade da informação e da comunicação, a evangelização através da ação pastoral precisa ser repensada. Precisamos verificar se é possível uma pastoral ciberculturada, inserida nessa nova cultura amplamente dominada e administrada por jovens em busca de novas e criativas maneiras de se comunicar, para que a boa nova possa ser um anúncio vivificante também no ciberespaço. A cibercultura marca um retorno ao coletivo-comunitário e por isso deve ser objeto de estudo de uma fé ou de uma religião ou ainda, de um coletivo (Igreja como comunidade de batizados) que tem o comunitário com constitutivo do seu ser no mundo. O que realizamos com a pesquisa foram a identificação dos novos agentes de pastoral, suas atividades no ciberespaço, como é possível a edificação de igrejas virtuais-locais (Igreja local no ciberespaço), fazendo algumas considerações críticas sobre o que já vem sendo construído e apontando possíveis caminhos para o futuro.

Palavras-chave: Cristo; fé cristã; cibercultura; ciberespaço; inteligência coletiva; internet; TICs; teologia pastoral; evangelização; igreja; inculturação; juventude; cooperação humana virtual; comunidades virtuais; web 2.0.

 

ICOX – Gerenciador de Inteligência Coletiva [www.icox.org.br]

Colaborei  com o desenvolvimento da primeira ferramenta nacional de gerenciamento de coletivos inteligentes em rede. Esta ferramenta foi desenvolvida em parceria com a empresa PontoNet, com o apoio da FAPERJ (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) e está sob licenciamento GNU/GPL, tendo por objetivo promover a apropriação do conhecimento de maneira colaborativa e interativa, contribuindo assim, para que todos/as tenham a oportunidade de melhorar suas condições sócio-econômicas e culturais na nova sociedade da informação, do conhecimento e da comunicação de “muitos-para-muitos” (Pierre Lévy).

 

TeleCom Livre – Telecentros Comunitários de Software Livre

Coordenei na ONG SOCID o projeto Telecom Livre. São centros de acesso a serviços do Governo Eletrônico, cultura e lazer, onde realizamos cursos profissionalizantes e capacitamos multiplicadores de conhecimento comunitários para o uso maduro da internet.

Todos os programas utilizados nos computadores destes telecentros são softwares livres, por entendermos que este tipo de programa colabora para a criação de uma rede de conhecimento que estará sempre ao alcance do coletivo e para o processo de formação de redes de inteligência coletiva, que, por sua vez, irão fomentar a criação de um novos mercados de serviços.

 

Alexandre Magalhães Rangel. Cibercultura e Evangelização – Sobre a ação pastoral no ciberespaço. Rio de Janeiro, 2010, 36p. Monografia – Departamento de Teologia, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Numa sociedade da informação e da comunicação, a evangelização através da ação pastoral precisa ser repensada. Precisamos verificar se é possível uma pastoral ciberculturada, inserida nessa nova cultura amplamente dominada e administrada por jovens em busca de novas e criativas maneiras de se comunicar, para que a Boa Nova possa ser um anúncio vivificante também no ciberespaço. A cibercultura marca um retorno ao coletivo-comunitário e por isso deve ser objeto de estudo de uma fé ou de uma religião ou ainda, de um coletivo (Igreja como comunidade de batizados) que tem o comunitário com constitutivo do seu ser no mundo. O que realizamos com a pesquisa foram a identificação dos novos agentes de pastoral, suas atividades no ciberespaço, como é possível a edificação de igrejas virtuais-locais (Igreja local no ciberespaço), fazendo algumas considerações críticas sobre o que já vem sendo construído e apontando possíveis caminhos para o futuro.

Palavras-chave

Cristo; fé cristã; cibercultura; ciberespaço; inteligência coletiva; internet; TICs; teologia pastoral; evangelização; igreja; inculturação; juventude; cooperação humana virtual; comunidades virtuais; web 2.0.